quinta-feira, 31 de maio de 2012

A Desonra do Ciúmes*


Em seu rosto, ainda vejo o nervosismo da noite anterior.
Cometi erros de diversos tipos...Erros primários, erros de conduta.
Por vezes até deixei de cumprir as minhas tarefas.
Faltei a compromissos por birra ou amor incontido.
Estamos indo a uma festa temática como sempre.
O senhor me conduziu pelos braços...Lá chegando...
Encontramos com vários amigos...Top, Dominis, Mestres.
Em determinado momento, um Lorde amigo, me pede emprestada...
Seria uma demonstração que, o Senhor sabia eu ser capaz
Ajoelhada ao seu lado, o Senhor me estende a mão para me entregar ao Lorde.
Eu recuso...Digo não de forma veementemente!!!
Cara de espanto...Em seu rosto a total incredulidade.
Pegando-me pelos cabelos, me leva ao reservado.
-Estás louca cadela??? O que pensa que está fazendo?
Encarando desafiadoramente em seus olhos, digo.
-Traga tua nova cadela para esta demonstração!!!
-Não tens dado tanto mino a ela?
Dali mesmo, nos retiramos da festa.
Me joga dentro do carro de forma brutal.
Voltamos para casa, e então sou acorrentada em sua masmorra.
Sem uma palavra, começa uma sessão de spanking.
E vai batendo...batendo...batendo.
As lágrimas começam a escorrer em meu rosto.
A punição aumenta, o ódio se faz presente.
O reio corta o ar, as tiras vibram na terrível sessão.
Até que a carne em chamas faz-me gritar pela Safe Word.
Gruda em meus cabelos e olha fixo em meus olhos.
Ainda acorrentada, vou sendo despojada da minha coleira.
-Esta foi sua ultima sessão...Tudo termina aqui!!!
-Você nunca mais vai me afrontar.
Jogando em mim, as roupas, manda que eu me retire.
Da sua casa...Dos seus cuidados...Da sua vida.
Hoje, relembrando todas as minhas atitudes, vejo o quanto errei.
Ciúmes, insegurança, por causa de uma jovem sub, que havia entrado em nossas vidas.
Joguei ao vento, todos os anos de servidão e companheirismo.
Não consegui atinar o quanto eu significava para o meu Dono.
Fiquei contra ele e contra toda a liturgia que eu havia estudado.
Eu não perdi o meu lugar...Eu o atirei no lixo...Eu o joguei fora.
Hoje amargo a solidão e a certeza, de que nunca mais serei de alguém.S.L

Nenhum comentário:

Postar um comentário